De culinária e suspense, crise financeira ajuda livrarias

Por Michelle Nichols NOVA YORK (Reuters) - Muita gente está buscando nos livros alguma resposta à calamidade financeira que o mundo atravessa, e isso está estimulando a venda de qualquer coisa - seja um perfil do homem mais rico do mundo ou romances de suspense.

Reuters |

A Borders Group, segunda maior rede norte-americana de livrarias, e a Amazon, maior livraria da Internet, disseram estar havendo uma moda dos livros financeiros.

"As pessoas estão sedentas de conhecimento e tentando entender o que está acontecendo e como pudemos chegar a este ponto na economia", disse Kathryn Popoff, vice-presidente da Borders para o mercado adulto de livros.

"Não vemos as vendas de livros realmente concentradas em um ou dois títulos, estamos vendo-os se espalhar por múltiplos títulos, o que me leva a crer que as pessoas estão tentando entender os diferentes componentes do que está acontecendo", afirmou ela.

"The Snowball" ("A bola de neve"), primeira biografia autorizada do bilionário Warren Buffett -- cujo fundo Berkshire Hathaway já investiu 8 bilhões no Goldman Sachs e na General Electric -- é um best-seller desde o lançamento, neste mês. Lidera as vendas de não-ficção em capa dura em Nova York e está em quinto na lista geral da Amazon.

Diante de uma livraria Barnes and Noble em Manhattan, a artista plástica Anne White, 64 anos, mostrava os recém-adquiridos "The End of América" ("O fim da América") e "Give Me Liberty" ("Me dê liberdade"), de Naomi Wolf.

"Espero ver algumas respostas sobre o que eu posso fazer, porque a gente se sente um pouco sem esperança", disse White. "A crise financeira representa a ambição que está ocorrendo nos Estados Unidos atualmente."

Seu marido Alec, também 64 anos, que atua como mediador voluntário, comprou audiolivros de "As Aventuras de Huckleberry Finn" e "Tom Sawyer", de Mark Twain. "Quer melhor jeito de fugir do que descendo o rio Mississippi?", disse ele, rindo.

Popoff disse que as vendas de ficção foram boas no último mês, com uma tendência para os livros de suspense. "Estamos realmente vendo isso como um lugar de fuga para as pessoas", disse ela.

Pensando na crise financeira, o recepcionista de hotel Scott Christy, 42 anos, comprou dois livros de mistério na Barnes and Noble porque um deles estava pela metade do preço. "Sou fã, definitivamente é uma fuga", afirmou.

Na lista "Movers and Shakers" da Amazônia, uma espécie de compilação dos best-sellers das últimas horas, o livro "The Ten Roads to Riches: The Ways the Wealthy Got There (And How You Can Too!)" ("Os dez caminhos para a riqueza: como os ricos chegaram lá ), de Kenneth L. Fisher, passou da 2.407a posição para a 178a - sétima maior ascensão.

A nona maior, passando da 2.159a posição para a 209a, foi um guia de B. Loeper sobre "como eliminar as custosas taxas ocultas para melhorar sua vida".

As livrarias também refletem a suposição de que, por causa da crise, as pessoas passarão a comer mais nas suas casas, segundo Tammy Hovey, assessor de imprensa da Amazon. "Houve um aumento de interesse sobre os grandes lançamentos deste outono de Ina Garten e Martha Stewart , cujos novos livros falam da volta ao básico".

Na segunda-feira, o topo da lista "Movers and Shakers", registrando a maior ascensão nas vendas nesse dia, era "The 99 Cent Only Stores Cookbook: Gourmet Recipes at Discount Prices" ("O livro de receitas das lojas de 'tudo a 0,99': receitas gourmet por preços de ocasião"), de Christiane Jory, que saltou da 187.383a para a 162a posição.

"É um excelente livro para os atuais tempos econômicos", escreveu Prabash B. Coswatte, de Pasadena, Califórnia, na sua resenha para a Amazon. "Mostra como qualquer um de nós pode esticar nosso dólar, ou nossos 99 cents."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG