David Lynch grava participação no programa Roda Viva nesta sexta-feira

SÃO PAULO - O cineasta David Lynch, duas vezes indicado ao Oscar de direção (Veludo Azul e Cidade dos Sonhos), continua sua agenda pelo Brasil nesta sexta-feira, quando grava uma participação no programa Roda Viva, exibido pela TV Cultura. Ele veio ao país para divulgar o livro ¿Em Águas Profundas: Criatividade e Meditação, pela editora Gryphus.

Da Redação do Último Segundo |

Ontem, Lynch deu palestras numa livraria e numa universidade em São Paulo. Em ambas, falou basicamente sobre o seu livro, mas também abriu espaço para as perguntas da platéia. Até fez piada sobre seus filmes: quando perguntado se a meditação ajudaria a compreender melhor sua obra, considerada difícil por parte do público e da crítica, ele sorriu e respondeu "absolutamente... compreensão infinita".

Ele também mostrou um lado curiosamente zen, distante do universo conturbado de seus filmes. "O artista não tem que sofrer para mostrar sofrimento em suas obras", explicou. Disse ainda que usa a meditação para se afastar de toda a negatividade. "Paz real não é apenas ausência de guerras, mas ausência de toda a negatividade", completou.

No livro, o cineasta combina biografia, filmografia, espiritualismo e cita a sua perspectiva filosófica sobre a vida, marcada por mudanças e por sua capacidade de meditação transcendental. Após ter praticado meditação durante três décadas, o cineasta propõe uma discussão sobre como isso influenciou sua vida e ajudou a concentrar as suas energias.

O texto é curto, escrito em pequenas passagens que, na pretensão do autor, devem fluir e dançar ao longo das páginas que, viradas continuamente, provocam uma sensação de viagem na mente do leitor. São 84 textos breves, de no máximo três páginas cada um, que expõem a visão de Lynch sobre o seu processo criativo e sua relação com o mundo.

O autor tornou-se adepto da prática na década de 70, ao se aproximar do movimento espiritual criado pelo guru indiano Maharishi Mahesh Yogi, que teve sua primeira onda de popularidade nos anos 60 graças à divulgação de simpatizantes célebres como os Beatles, Mia Farrow e Donovan Leitch.

A agenda do cineasta pelo Brasil ainda incluiu uma sessão de autógrafos no Rio de Janeiro, neste sábado (09), e mais duas palestras, uma em Porto Alegre (domingo, 10) e outra novamente no Rio (segunda, 11).

Dentre os filmes clássicos de David Lynch estão Veludo Azul e Cidade dos Sonhos. O primeiro é uma fita sobre trafico de drogas e tem Denis Hopper atuando. Cidade dos Sonhos narra uma história de amor na cidade dos anjos em tom noir.

Leia mais sobre: David Lynch

    Leia tudo sobre: david lynch

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG