Datafolha mostra boa vantagem de Serra em cenário sem Ciro Gomes

SÃO PAULO (Reuters) - O governador paulista, José Serra (PSDB), aparece com boa vantagem nas intenções de voto a presidente da República em um cenário sem Ciro Gomes (PSB), apesar de sua principal adversária, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, ter avançado na pesquisa do Datafolha publicada neste domingo. Realizada dias 24 e 25 de fevereiro, a pesquisa revelou que, sem o nome do PSB, o pré-candidato tucano passou a 38 por cento em relação ao levantamento feito em dezembro, quando tinha 40 por cento. Dilma avançou 5 pontos percentuais, para 31 por cento.

Reuters |

Uma semana depois de ter sido lançada pelo PT pré-candidata à Presidência, Dilma registrou vantagem em uma eventual disputa com o governador mineiro Aécio Neves. Neste cenário, ela aparece com 30 por cento das intenções de voto, enquanto Ciro fica estável em 21 por cento e Aécio cai para 13 por cento.

Sem Serra e Ciro na corrida presidencial, Dilma lidera com 34 por cento, enquanto Aécio é visto com 18 por cento das intenções de voto.

No cenário com Ciro Gomes concorrendo à Presidência, Serra cai cinco pontos percentuais, para 32 por cento, enquanto Dilma avança na mesma proporção, para 28 por cento, segundo o Datafolha.

A pré-candidata do PV, Marina Silva, registrou pouca oscilação em fevereiro em relação à pesquisa de dezembro e aparece estável com 8 por cento no cenário com Ciro e com 10 por cento na pesquisa sem o nome do PSB.

Em uma simulação de segundo turno, a vantagem do tucano caiu de 49 por cento para 45 por cento contra 41 por cento da pré-candidata petista, que em dezembro tinha 34 por cento, mostrou a pesquisa. Na disputa com Aécio, Dilma venceria com 48 por cento dos votos, ante 26 por cento do governador de Minas Gerais.

A pesquisa publicada neste domingo no jornal Folha de S.Paulo ouviu 2.623 pessoas maiores de 16 anos. Como a margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais, Serra e Dilma estariam no limite do empate técnico, mas com os números da sondagem, isso seria estatisticamente improvável.

No início do mês, pesquisa da CNT/Sensus já apontava para evolução crescente de Dilma. Na ocasião, a ministra havia avançado 6,1 pontos percentuais em cenário de primeiro turno com quatro candidatos na comparação com a pesquisa anterior, de novembro.

No levantamento, Dilma chegou a 27,8 por cento das intenções de voto, enquanto Serra passou de 31,8 por cento para 33,2 por cento.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG