A avaliação do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva sofreu reflexos da crise econômica e caiu pela primeira vez desde o início do segundo mandato. A aprovação caiu de 70%, em novembro do ano passado, para 65%, segundo pesquisa Datafolha divulgada hoje.

O governo terá novo diagnóstico nesta tarde, com a divulgação da pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI). A pesquisa CNI/Ibope do primeiro trimestre deste ano traz a avaliação do governo, do presidente, e também um capítulo especial sobre os efeitos da crise.

Lula tem a maior popularidade entre os presidentes desde a redemocratização, aponta a pesquisa publicada hoje no jornal "Folha de S.Paulo". O então presidente Fernando Henrique Cardoso atingiu no máximo 47% de ótimo/bom em 1996, no auge da popularidade trazida pelo Plano Real. A avaliação pessoal do presidente segue com grande aprovação entre os eleitores que têm a escolaridade fundamental: 68% consideram ótimo/bom. Entre os eleitores com escolaridade superior, a taxa permaneceu em 64%.

Entre os brasileiros de menor renda, a avaliação positiva caiu de 71% para 66%. Também houve queda na faixa superior de renda: de 63% para 58%. Em termos regionais, o Nordeste continua sendo a principal área de apoio a Lula, com 77% de aprovação, apesar da queda de quatro pontos em relação ao levantamento anterior. A pesquisa reflete o aprofundamento da crise econômica no Brasil. Desde novembro, o número de brasileiros que tomaram conhecimento da crise aumentou de 72% para 81%, mas apenas 19% se consideram bem informados a respeito. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos, para mais ou para menos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.