Danças caribenhas melhoram coordenação motora, diz professor

A batida é envolvente e ficar parado, um sacrifício. Ritmos latinos, como a salsa e o merengue, tomam a pista de dança, que logo fica repleta de casais e avulsos que se conhecem no salão e descobrem afinidades.

Agência Estado |

Além de fazer bem para a saúde, já que movimenta o corpo inteiro, a atividade também faz bem para a alma. Com a dança, o condicionamento físico e a coordenação motora melhoram, de acordo com o professor Humberto Siles, boliviano que dá aulas há oito anos.

Siles faz parte da companhia de dança Conexión Caribe e destaca que a dança dá pleno domínio dos movimentos do corpo. "A dança é tranquila e dá para dosar o aprendizado. Aos poucos, a pessoa vai se adaptando.” Os benefícios para a saúde são principalmente cardiovasculares, mas não param por aí. “Como não é um exercício aeróbico muito puxado, também pode ser feito por quem tem problemas respiratórios, como bronquite”, diz a professora de dança Milena Malzoni. Dançar salsa também leva à perda de peso - são 394 calorias queimadas por hora -, e melhora a postura e a flexibilidade.

O ritmo caribenho é ótimo também porque ajuda a tonificar pernas e quadris, além de trabalhar aspectos como a autoestima e a sensualidade. “As pessoas procuram a dança por vários motivos. Algumas porque querem fazer uma atividade física e odeiam ir à academia, outras porque querem conhecer gente. Quem é tímido se solta um pouco”, diz Milena. Para Siles, a prática da salsa traz muitos benefícios sociais. “As pessoas interagem e passam a ter menos receio de abordar os outros.” E não é preciso ser um pé-de-valsa para começar a bailar. Segundo os professores, a maioria dos iniciantes diz não saber dançar nada.

Andressa Zanandrea

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG