Depois de cinco anos afastado dos palcos, Dalton Vigh está na peça Cloaca, do grupo Tapa - o mesmo em que o ator deu início à vida artística, há 15 anos -, que estreia hoje. Dirigido por Eduardo Tolentino, Dalton vive Tom, um advogado quarentão que acaba de deixar uma clínica para dependentes químicos e se encontra com três amigos, discutindo com eles temas como masculinidade e amizade, tudo numa linha cômica.

Frustrações e problemas pessoais são expostos no palco. Tom ainda é atormentado pelo vício em entorpecentes. Pieter (Tony Giusti) passa por perrengues profissionais. Jan (André Garolli) é político e acabou de se separar da esposa. E Maarten (Brian Penido Ross) vive frustrado como diretor de teatro.

Apesar da dramaticidade que cerca cada história, Tolentino garante que o espetáculo é leve e original, não um produtor de lágrimas. Os dramas cotidianos são cercados de humor, diz o diretor.

Dalton está empolgado com o trabalho. Eu estava com saudade do teatro e dessas pessoas. O ator, aliás, não pode sobreviver só de televisão. Às vezes, você fica marcado. Dalton foi protagonista da novela "Duas Caras" (2008), mas conta que até hoje é reconhecido nas ruas como Said, personagem de "O Clone" (2002).

Cloaca . Estreia hoje, às 21h. Teatro Nair Bello: Rua Frei Caneca, 569, Bela Vista. Tel. (011) 3472-2414 ou 3472-2444. Qui. e sex., 21h; sáb., 21h30; dom., 19h. Ingressos: qui. e sex., R$ 30; sáb. e dom., R$ 40. 14 anos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.