Dados da violência no Rio saem com 3 meses de atraso

As estatísticas sobre violência no Estado do Rio estão sendo divulgadas com até três meses de atraso - os dados de outubro saíram em 31 de janeiro, por exemplo. E nem a própria Secretaria de Estado Segurança tem acesso à totalidade das informações com antecedência, já que 35% das delegacias do Estado ainda não foram informatizadas.

Agência Estado |

O intervalo entre um boletim de criminalidade e outro equivale ao tempo que os boletins de ocorrência (BOs) dessas delegacias demoram para serem digitalizados.

O vice-presidente do Instituto de Segurança Pública (ISP), tenente-coronel Robson Rodrigues da Silva, disse que seus técnicos levam quatro dias para processar os dados e divulgar o boletim mensal sobre criminalidade. A demora de mais de três meses na publicação dos índices ocorre porque equipes de funcionários da corregedoria da Polícia Civil responsáveis pela digitalização dos BOs foram demitidas na transição do governo de Rosinha Garotinho para o de Sérgio Cabral (ambos do PMDB).

Durante um período, o ISP chegou a divulgar dados parciais, levando-se em consideração somente as ocorrências registradas nas delegacias informatizadas (65% das instituições do Estado), dentro do projeto Delegacia Legal. O tenente-coronel Robson explica que o ISP suspendeu esse tipo de publicação. "Temos de divulgar dados comparáveis", afirmou.

Ele ressaltou que a secretaria e os batalhões da PM recebem com antecedência índices de criminalidade referentes às áreas atendidas apenas por delegacias legais. "Aquelas regiões que têm três delegacias legais e uma convencional, por exemplo, também recebem a informação antes, porque aquele dado está perto da realidade. Então, o que parece demora na divulgação para a sociedade e para a imprensa não atrapalha o planejamento de forma sensível."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG