Curso da Universidade Federal de Santa Catarina mostra como parar de fumar

BRASÍLIA - Evitar café e outros produtos que têm cafeína, como chá preto, erva mate, chocolate e bebidas à base de cola (tipo Coca Cola) são algumas das dicas do professor Joel de Souza, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), para quem quer parar de fumar sozinho. Ele coordena o curso Como parar de fumar em cinco dias, oferecido nesta semana pela instituição. O professor sugere ainda ficar uns dias longe de bebidas alcoólicas e tomar muita água.

Agência Brasil |

De acordo com Souza, o ideal é buscar um grupo de apoio,  como os que existem em alguns hospitais públicos e postos de saúde, ou um profissional que trabalhe com tabagismo. No entanto, para os que pretendem tentar sozinhos, ele diz que se manter longe de coisas que estimulam a vontade de fumar é importante nos três primeiros dias, principalmente, e até os cinco primeiros dias, em que há um efeito muito forte da síndrome de abstinência.

Outra dica é se comprometer publicamente com as pessoas conhecidas, amigos e parentes, dizendo claramente que decidiu parar de fumar. Cada vez que você repete isso, você está fortalecendo a sua decisão, afirma.

Para os não-fumantes que querem ajudar alguém a largar o cigarro, a orientação do professor é primeiro enxergar no fumante um paciente. A OMS (Organização Mundial de Saúde) classifica a pessoa que tem a dependência do tabaco como um doente, destaca.

Ele lembra, no entanto, que é necessário não hostilizar o fumante, mas tratá-lo com cuidado, mostrando, com carinho. Muitas vezes as pessoas estão hostilizando aquele que fuma, com leis, repudiando como se fosse uma coisa totalmente indesejável; é um ser humano que está ali, que por algum fator do passado, alguma decisão errada, adquiriu o vício de fumar. E completa: às vezes, essa pessoa tem carência, algum tipo de depressão, e usa o cigarro como uma fuga.

O coordenador esclarece que o processo para deixar o tabagismo é de reeducação. A última palestra do nosso curso é um novo estilo de vida para um ex-fumante, e exatamente essa palestra é a mais importante do nosso curso; a gente visa exatamente a reeducar esse fumante, ensinar a ele a ter um novo padrão de vida, diz.

De acordo com Souza, são três os principais grupos de fumantes. O primeiro é composto pelas pessoas que associam o fumo a uma prática prazerosa, como uma refeição ou o sexo. Para ele, essas pessoas são as que têm mais facilidade para parar de fumar.

O segundo grupo, o mais numeroso, tem dificuldade um pouco maior. São pessoas que procuram os benefícios imediatos que a nicotina traz. Essa substância libera dopamina no cérebro, o que leva a uma melhora no humor, melhor capacidade de concentração e diminuição do estresse.

Então, muitas pessoas para fazer frente às tarefas do dia-a-dia, do trabalho, fumam, ou se estão com algum problema, algum estresse, alguma tensão, fumam; é requerido deles um processo de concentração, ele fuma para melhorar a concentração.

O terceiro grupo é formado por aqueles que são depressivos, esquizofrênicos ou têm algum problema psíquico; é o grupo mais grave e que tem maior dificuldade para largar o vício. Em geral, necessitam de acompanhamento de um profissional de saúde e mesmo medicamentos para atenuar a síndrome de abstinência.

O curso Como parar de fumar em cinco dias é oferecido pela UFSC desde 2002, duas vezes por ano. Uma é na semana de 31 de maio, Dia Mundial Antitabagismo, e a outra na semana de 29 de junho, Dia Nacional de Combate ao Fumo. 

    Leia tudo sobre: fumo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG