Cúpula na BA é cercada de forte esquema de segurança

Caças supersônicos F-5M, turboélices Supertucano antiguerrilha, helicópteros armados, jatos R-99A equipados com radares de 400 quilômetros de alcance. Em terra, 3 mil policiais e militares do Exército, Aeronáutica e Marinha - que mantém no litoral navios lançadores de mísseis.

Agência Estado |

Os 34 chefes de Estado reunidos na cúpula do Mercosul, América Latina e Caribe (CALC), na Costa do Sauípe (BA), estão protegidos por um esquema de segurança semelhante ao dedicado à garantia do papa Bento XVI em sua visita ao Brasil, em 2007. Além das forças ostensivas, o Ministério da Defesa mobilizou o Grupo Antiterror da Brigada de Operações Especiais de Goiânia.

A contar do complexo hoteleiro onde o preço da diária varia de R$ 606 por um apartamento em pousada, a R$ 10 mil pelos 225 metros de uma suíte presidencial, o espaço aéreo foi interditado em um raio de 54 quilômetros. Nessa área, é proibido voar. As aeronaves, mesmo as regulares, precisam de autorização prévia para entrar. O esquema começou a vigorar às 15 horas de ontem e vai até quinta-feira. Para segurança dos líderes latino-americanos, há vôos de patrulha armada dia e noite. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG