BRASÍLIA - O presidente da Associação dos Servidores da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Nery Kluwe, afirmou nesta terça-feira, em depoimento à CPI dos Grampos, que a cúpula da Abin sabia da participação de agentes na Operação Satiagraha, ação da Polícia Federal (PF) que culminou na prisão do banqueiro Daniel Dantas.

Acordo Ortográfico

Kluwe insiste que o agente Márcio Seltz participou da Satiagraha a convite do delegado Protógenes Queiroz e posteriormente repassou as informações sobre o trabalho para o diretor-afastado da Abin, Paulo Lacerda. Na opinião dele, porém, não há nada demais do delegado do inquérito [Protógenes Queiroz] pedir ajuda do Paulo Lacerda".

O nome de Márcio Seltz surgiu nas investigações da CPI dos Grampos durante o depoimento do diretor de inteligência da PF, Daniel Lorenz, que afirmou aos deputados que a presença de Seltz no prédio sede da Polícia Federal, em Brasília, foi o ponto de partida para as investigações acerca dos supostos abusos cometidos por Protógenes durante a condução da Operação Satiagraha.

Protógenes Queiroz foi afastado do comando da Operação Satiagraha para terminar o Curso Superior de Polícia, estudos que foram concluídos no início deste mês. Entretanto, na manhã desta segunda-feira, o delegado foi informado de que foi afastado da diretoria de inteligência da Polícia Federal, a área em que atuava.

Leia mais sobre: Operação Satiagraha

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.