Cúpula da Abin caiu por participação na Satiagraha, diz Jobim

BRASÍLIA - A cúpula da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) foi afastada pela participação de agentes na Operação Satiagraha. A informação é do ministro da Defesa, Nelson Jobim, negando que a aquisição de supostos equipamentos capazes de fazer escutas telefônicas tenha sido o motivo da crise.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

Acordo Ortográfico

"O que é importante é que o afastamento não se deu por essa informação, mas porque a Abin havia participado com alguns elementos, depois saberíamos que eram 52, dessa investigação [Satiagraha]. Eu disse a ele [presidente Lula] que a Abin não poderia participar de investigações comuns", disse.

Jobim citou a Constituição Federal para mostrar que em crimes como os de lavagem de dinheiro cabe somente à Polícia, Ministério Público e à Justiça trabalhar num caso como a Satiagraha. Esse argumento teria sido repassado a Lula e o motivo da queda da direção da Abin.

"Alguns teriam dito que era preciso fazer inquérito para identificar se os equipamentos eram ou não capazes de fazer escutas", disse. "Mas não se discutiu responsabilidade criminal, o que estava em jogo era responsabilidade política e a posição do Supremo que queria uma solução. A sugestão que eu dei era o afastamento para fazer as investigações", pontuou.

Leia mais sobre: CPI dos Grampos

    Leia tudo sobre: cpi dos grampos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG