BERLIM ¿ O ator americano Tom Cruise disse hoje, durante a estreia na Alemanha de Operação Valquíria (Valkyrie), que sente o peso histórico deste filme, que protagoniza e que definiu como o maior desafio de sua vida. Entre as dificuldades, segundo o ator, esteve o peso de vestir um uniforme nazista.

Baseado em fatos reais e dirigido por Bryan Singer ("X-Men", "Super Homem, o Retorno"), "Operação Valquíria" narra o complô orquestrado por oito altos comandantes do Exército alemão para matar Adolf Hitler em 1944 e encerrar assim a Segunda Guerra Mundial.

O ator de 46 anos encarna o coronel Claus Schenk Graf Von Stauffenberg no filme que ele virá lançar no Brasil, em 13 de fevereiro. "Foi uma grande responsabilidade refletir o espírito da história sem esquecer o entretenimento", explicou hoje Cruise.

Cruise é aguardado nesta noite para assistir, com sua mulher, a também atriz Katie Holmes, à "premiere" europeia do filme, no Theater am Potsdamer Platz, cinema que celebra as grandes estreias durante o Festival de Berlim.

O filme, que Cruise dedica à resistência alemã contra o nazismo, estreará nos cinemas alemães na quinta-feira. "Quando era criança, me perguntava por que ninguém parou Hitler, por que ninguém lhe deu um tiro na cabeça", disse hoje em entrevista coletiva em Berlim, onde "Operação Valquíria" foi filmado.

As locações incluíram o histórico edifício Bendlerblock, onde Stauffenberg e seus asseclas, símbolos da resistência contra o nazismo, foram executados.

Stauffenberg, vivido por ele, foi o autor material do atentado frustrado contra Adolf Hitler, em 20 de julho de 1944, ao colocar uma bomba junto ao assento do quartel-general do "Führer".

Hitler só ficou levemente ferido e, na mesma noite, vários oficiais envolvidos no atentado foram executados, entre eles Stauffenberg.

Leia mais sobre: Tom Cruise

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.