Cronologia do caso Polanski

O cineasta franco-polonês Roman Polanski, de 76 anos, foi preso neste sábado em Zurique (Suíça) a pedido da justiça norte-americana por um caso ocorrido em 1977 em Santa Mônica, próximo a Los Angeles.

AFP |

Cronologia do caso Polanski:

- 10 de março de 1977: Roman Polanski, então com 43 anos e já reconhecido mundialmente por sua obra cinematográfica, tem uma relação sexual com uma menor de 13 anos, Samantha Geimer, depois de uma sessão de fotografia na casa do ator Jack Nicholson.

- 15 de abril de 1977: tem início o processo por violência sexual depois de uma ação movida pelos pais da adolescente. Polanski se declarou inocente.

- 8 de agosto de 1977: Polanski mudou de estratégia e se declarou culpado de corrupção de menor. Chegou-se a um acordo para evitar um processo público. No entanto, no dia 19, o juiz Lawrence Rittenband o condenou a três meses de prisão para ser submetido a "exames mentais", depois dos quais seria tomada uma decisão. O cumprimento da pena foi adiado para a realização de um filme.

- 17 de dezembro de 1977: Roman Polanski foi preso no hospital-prisão de Chino, próximo a Los Angeles. É colocado em liberdade 47 dias depois.

- 31 de janeiro de 1978: ao ser informado de que corria o risco de ser condenado à pena máxima, de 50 anos, Polanski decidiu fugir para Paris. Nunca mais viajou para os Estados Unidos, mas se deslocou livremente por vários países, incluindo a Suíça, sem ser incomodado. Sua defesa passou a considerar que o magistrado perseguia seu cliente para ganhar projeção na mídia.

- 24 de fevereiro de 1978: o juiz Paul Breckenridge se negou a pronunciar um veredicto "em rebeldia".

- 23 de agosto de 1994: o procurador encarregado do expediente criminal, Roger Gunson, negou-se a absorver Polanski, que desejava retornar aos Estados Unidos, e exigiu que se apresentasse a um tribunal. Mas Gunson considerou que evitaria a prisão. Uma nova legislação fixou a pena máxima em quatro anos.

Pouco antes, Roman Polanski pôs fim ao processo civil, pagando 225.000 dólares a Samantha Geimer.

- 1º de março de 2003: Samantha Geimer "perdoou" publicamente Polanski, mas reiterou que foi violentada. "Ele (Polanski) me fez beber champanhe e tomar Quaalude. E abusou de mim." Ela queria que o cineasta pudesse asistir à cerimônia de entrega do Oscar, em 23 de março.

- 23 de março de 2003: Polanski recebe, sem estar presente, o Oscar de melhor diretor de Hollywood por "O pianista".

- 3 de dezembro de 2008: Chad Hummel e Bart Dalton, advogados de Roman Polanski, pediram à justiça do Estado da Califórnia que abandonasse as acusações contra seu cliente. Afirmaram que tinham novas provas mostrando que o cineasta não teve acesso na época a um processo penal equitativo em Los Angeles.

- 26 de setembro de 2009: Roman Polanski foi preso ao chegar a Zurique, onde participaria de um Festival de Cinema. De acordo com a justiça suíça, em virtude de um acordo entre EUA e Suíça, foi "colocado em prisão provisória para ser extraditado". A extradição havia sido solicitada em 2005.

- 28 de setembro de 2009: o advogado suíço de Roman Polanski, Hervé Temime, anunciou que solicitará "sem demora" sua libertação, provavelmente sob condições, e que alegará "a ilegalidade da solicitação de extradição".

JMC/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG