Crítica: Homenageando Maquiavel e Darwin

SÃO PAULO - Um dos maiores cientistas do século 16, Nicolau Maquiavel, e um dos maiores do século 19, o homem da evolução, Charles Darwin, merecem ser relembrados pelo público em duas excelentes peças teatrais: A Mandrágora, escrita pelo próprio autor da carta O Príncipe que é o documento que deu origem às ciências políticas, em cartaz no Teatro Nair Belo do Shopping Frei Caneca, assim como After Darwin, no Teatro do Antigo Sedes Sapientiae, hoje, Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia da PUC, na rua Marquês de Paranaguá que, merecidamente, é ocupado pelo Grupo Arte e Ciência no Palco.

Maria Lúcia Candeias, especial para Aplauso Brasil |

Leia mais em Aplauso Brasil .

    Leia tudo sobre: teatro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG