BRASÍLIA ¿ O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) apresentou nesta quinta-feira à Mesa Diretora ¿ comandada pelo presidente José Sarney (PMDB-AP) ¿ a lista com oito propostas moralizadoras para o Senado. Vinte senadores do DEM, PSDB, PT, PMDB, PSB e PDT assinaram o documento. Entre as reivindicações, os parlamentares pedem a http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2009/06/17/parlamentares+pedem+demissao+do+diretor+geral+e+economia+no+senado+6787921.htmldemissão imediata do diretor-geral da Casa, Alexandre Gazineo.

José Sarney, que foi presidente da República entre 1985 e 1989, disse em discurso em plenário nesta terça-feira que a crise do Senado não é dele , e que julgá-lo era falta de respeito com os homens públicos do País. Sarney é suspeito de autorizar atos secretos na Mesa Diretora do Senado para uma série de contratações, inclusive de parentes seus, conforme reportagens publicadas pelo jornal "O Estado de S. Paulo".

Para o senador Cristovam Buarque, porém, a biografia de Sarney não o redime das supostas omissões cometidas como presidente do Senado. A biografia do presidente Sarney estaria absolutamente segura se no dia em que ele entregasse o cargo de presidente da República ao presidente Collor ele tivesse ido para Casa e virasse estadista aposentado, ele virasse o que se chama do velho estadista. Mas ele não quis isso, ponderou.

Ele preferiu guardar a biografia para os historiadores e ocupar um cargo político. O presidente Sarney hoje tem que ser julgado pelos seus gestos, por suas falas como presidente do Senado, continuou o senador pedetista.  

Na avaliação de Cristovam, todas as irregularidades administrativas cometidas no Senado devem ser apuradas por uma auditoria externa e os culpados devem ser punidos ¿ no caso dos servidores, com a demissão, e no caso dos senadores, com processo por quebra de decoro. Se [o culpado] não arcar com a responsabilidade, o Senado se acaba, se desmoraliza completamente. Quando houver um serviço externo apurando com clareza a responsabilidade, não há dúvida que a apuração e a punição virão, disse.

Por enquanto, o grupo de senadores que elaborou a lista não cogita a hipótese de articular um movimento pela renúncia de Sarney. Eles esperam uma resposta da Mesa Diretora em até duas semanas. 

Veja a lista de exigências:

1. Demissão imediata do diretor-geral do Senado e de toda a diretoria;

2. Indicação do novo diretor-geral referendado pelo plenário, na forma do projeto de resolução a ser apresentado;

3. Apresentação de proposta de reforma administrativa pelo novo diretor-geral;

4. Estabelecimento de meta de redução de pessoal e a suspensão de novas contratações;

5. Eliminação de vantagens acessórias inerentes ao mandato parlamentar;

6. Realização de reunião ordinária mensal do plenário para estabelecer a pauta de votações do período seguinte;

7. Realização de reunião ordinária do plenário para votação de medidas administrativas propostas pela Mesa Diretora;

8. Auditoria externa para todos os contratos firmados pelo Senado

Leia mais sobre: Senado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.