Crise financeira leva Rosas de Ouro a adaptar carros

A Rosas de Ouro, a segunda escola a desfilar no primeiro dia do carnaval de São Paulo, precisou simplificar seus carros alegóricos por conta dos efeitos da crise econômica mundial. A presidente da escola, Angelina Basílio, disse que foi necessário muita criatividade para superar a alta dos preços de matérias-primas, como o aço e o isopor, usadas nas alegorias.

Agência Estado |

Apesar das adaptações, Angelina acredita que a Rosas de Ouro manteve a grandiosidade. "Viemos para quebrar o jejum e conquistar o título", disse a presidente minutos antes da escola entrar na avenida. A Rosas está há 15 anos sem título.

A Rosas de Ouro, que tem como enredo "Bem-vindos à Fábrica dos Sonhos", entrou na avenida à 00h28 deste sábado, e mostra na comissão de frente o estandarte das 14 escolas de samba do Grupo Especial do carnaval paulistano. "A fábrica dos sonhos são as escolas de samba, por isso vamos homenagear todas elas em nosso carnaval", afirmou Angelina. "E a homenagem será para a Rosas, a maior campeã".

A Rosas se apresenta com alegorias muito coloridas que remetem ao universo infantil. À frente da escola estão dois soldados de chumbo gigantes. Nas alegorias, há duendes e arlequins.

    Leia tudo sobre: carnaval2009

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG