Crise fará Samarco dar licença a empregado com corte de salário

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Samarco, mineradora brasileira controlada meio a meio pela Vale e BHP Billiton, decidiu manter paralisada parte da sua produção pelo menos por mais quatro meses e conceder licença remunerada com redução de metade do salário dos seus empregados. A categoria aprovou a proposta feita pela Samarco na última sexta-feira, informou a assessoria de comunicação da empresa que exporta 100 por cento da sua produção.

Reuters |

Parte dos quase dois mil empregados da companhia sairá de licença remunerada a partir de junho. Os demais sairão em julho, agosto e setembro. A licença poderá ser renovada por mais quatro meses.

"A proposta apresentada aos sindicatos e aprovada em assembleia permite que a Samarco coloque em licença o número de empregados que considerar adequado, conforme as necessidades em suas operações", informou a empresa em nota.

Segundo o comunicado, a queda da demanda por seu produto, pelotas de minério de ferro, determinou a paralisação de parte da produção desde novembro do ano passado e, após uma reavaliação, foi decidida a continuidade do corte de produção.

Com capacidade para 21,6 milhões de toneladas anuais, a expectativa da empresa é fechar 2009 com dois terços desse total, ou cerca de 14 milhões de toneladas de pelotas.

Em novembro a empresa anunciou parada de produção de duas das três plantas de pelotização em Ponta Ubu, no Espírito Santo. Com isso foram reduzidas também a produção das plantas de beneficiamento localizadas em Germano, Minas Gerais, para um terço de sua capacidade.

A Samarco inaugurou sua terceira pelotizadora em junho do ano passado, às vésperas da crise, aumentando em 54 por cento a sua produção.

De acordo ainda com a nota, a Samarco vai buscar limitar a licença em até 30 dias para cada funcionário.

(Por Denise Luna)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG