Crimes no Orkut crescem 240% em 6 meses, diz ONG

SÃO PAULO - Dos crimes praticados na internet, os associados à xenofobia (que incluem, entre outros, racismo e homofobia) foram os que mais cresceram entre usuários do site de relacionamento Orkut no segundo semestre de 2008. Levantamento feito pela ONG SaferNet e divulgado nesta sexta-feira constatou um aumento de 238,7% em infrações cometidas no site, em análise comparativa ao primeiro semestre do ano passado.

Agência Estado |

Ainda segundo a ONG, os crimes que apresentaram maior crescimento foram os de racismo (167,2%), homofobia (131,4%) e pornografia infantil (62%). Os números foram obtidos por meio de denúncias de usuários do site à ONG.

De acordo com Thiago de Oliveira, presidente da SaferNet no Brasil, foram registrados os nomes de oito mil pessoas que cometeram crimes no Orkut. Deles, segundo Oliveira, um número pequeno é punido ou notificado pelas autoridades competentes. O que contesta o especialista em crimes digitais e professor de direito eletrônico da Escola Paulista de Direito (EPD), Renato Ópice Blum.

"Só no Brasil, já foram proferidas 17 mil decisões judiciais relacionadas a crimes na internet. Mais do que o dobro de países como Finlândia, Itália, Dinamarca ou Suécia juntos, que devem totalizar 8 mil decisões".

Ainda segundo o advogado, apesar de não haver um código de lei que norteie os crimes cometidos na web, os infratores podem ser julgados por calúnia, injúria e difamação.

"Alguém que ofende uma pessoa no Orkut, dependendo do teor da ofensa, pode pegar até dois anos de prisão", explicou Blum. "Por não saber que podem ser punidos, os internautas não se intimidam na internet, o que pode ser um grande erro".

Denúncias

Quanto aos crimes de pedofilia, Blum lembrou que no ano passado foi aprovado no Congresso um pacote de medidas que prevê até 8 anos de reclusão a pessoas que armazenam, transmitem ou utilizam materiais pornográficos com a presença de crianças. "É um crime como todos os outros e que vem sendo combatido cada vez mais", destacou.

Segundo dados da SaferNet, de janeiro a outubro de 2008, foram recebidos pela Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos 47.711 denúncias de pedofilia na web, das quais aproximadamente 90% são referentes a conteúdos publicados no Orkut.

Para combater os crimes na web, o Google ampliou no ano passado sua equipe de monitoramento de comunidades para barrar usuários e grupos ilegais no Orkut. Outra medida aplicada foi a abertura de um canal direto para envio de dados de criminosos à Justiça.

O diretor de comunicação do Google, Felix Ximenes, informou que a empresa vem trabalhando com a Polícia Federal para combater tanto a pedofilia como crimes de xenofobia nas páginas do Orkut.

Leia mais sobre: Orkut

    Leia tudo sobre: orkut

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG