Criança que contraiu raiva humana morre em Brasília

BRASÍLIA - O menino de 12 anos que contraiu raiva humana e estava internado desde o dia 24 de novembro em Brasília morreu na madrugada de hoje (25). De acordo com o boletim médico divulgado pelo Hospital de Base do Distrito Federal, ele teve uma parada cardiorrespiratória irreversível e não respondeu às tentativas de reanimação.

Agência Brasil |

A criança chegou ao hospital apresentando sintomas de raiva e, logo após internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica, foi submetido ao coma induzido.

A secretaria de Saúde do Distrito Federal informou que o menino contraiu a doença depois de ser mordido por um morcego na cidade de São Domingos, interior do Estado de Goiás. Ele chegou ao hospital apresentando sintomas de raiva e, logo após internado, foi submetido ao coma induzido.

O tratamento é feito em parceria com médicos norte-americanos que, por meio de vídeo-conferência, orientam os especialistas brasileiros a usar um protocolo médico inovador contra a doença, criado há dois anos nos Estados Unidos.

Tal método já foi usado em alguns casos de raiva humana, mas somente em quatro deles os pacientes sobreviveram, apesar de a doença ser considerada 100% letal. Segundo a subsecretária de Vigilância Sanitária do Distrito Federal, Disney Antezana, as chances da criança se recuperar são mínimas. Esse protocolo está sendo usado na tentativa de reduzir as probabilidades de morte, mas a possibilidade de cura é muito pequena.

A Vigilância Epidemiológica está em alerta assim que soube do caso. No entanto, avisa que o fato é isolado e não representa perigo à população. Estamos acompanhando o caso, porque a raiva é uma doença de notificação compulsória onde há medidas de controle que precisam ser tomadas, mas não revela risco para a comunidade, afirma Disney.

De acordo com a Secretaria de Saúde do DF, o governo do estado de Goiás já está ciente do diagnóstico e toma providências para identificar o foco da doença.

    Leia tudo sobre: raiva

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG