Crescem focos de queimadas no Pantanal de MS

Desde o início desta semana, quatro frentes de queimadas estão sendo combatidas pelas brigadas anti-incêndios

AE |

selo

Os focos de queimadas no Pantanal de Mato Grosso do Sul estão aumentando. A informação é do chefe do Prevfogo, unidade do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama) em Corumbá, Gleick Santana Galeano. Desde o início desta semana, quatro frentes de queimadas estão sendo combatidas pelas brigadas anti-incêndios, uma delas dentro da Reserva Indígena dos Kadiwéus, que possui 540 mil hectares de área.

Hoje, as labaredas de um incêndio florestal foram desviadas pelos brigadistas da direção de um assentamento de pequenos produtores rurais, mas continuam ameaçando outras localidades. O fogo começou na Fazenda Fronteirinha, situada em Nhecolândia, entre os municípios de Corumbá e Miranda, perto das margens do Rio Negro.

Onze brigadistas seguiram hoje para a região pantaneira de Taquaral, para combate de um terceiro e grande foco de queimada. O trabalho dos combatentes é evitar que o foco atinja locais mais habitados e fazendas de gado. A medida preventiva está ocorrendo desde o final da semana passada na Serra do Amolar, onde estão surgindo pequenos focos em várias localidades e também na região conhecida por Nabileque. 

Comunicação

O analista ambiental do Prevfogo, Alexandre Pereira, explicou que as dificuldades de comunicação atrasam a troca de informações sobre as ocorrências de incêndios no Pantanal do MS, e ainda não há um levantamento conclusivo sobre o número de queimadas. 

"Temos, por exemplo, equipes na Serra da Bodoquena, onde o fogo está dentro da aldeia dos índios kadiwéus, mas ainda não sabemos como está a situação". Ele estima que na próxima segunda-feira o órgão tenha alguma informação.

    Leia tudo sobre: incêndiopantanal

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG