Cresce o número de pessoas que se declaram pardas no País

A cor dos brasileiros sofreu uma pequena mudança no último ano. Em 2008, houve aumento de 1,3 ponto percentual nas pessoas declaradas pardas e redução de 0,7 das pretas e de 0,8 das brancas. Mas, ainda assim, a população é majoritariamente branca, com 48,5%. As informações fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgada nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Redação |

Os pardos ¿ aqueles que se declaram mulatos, cafuzos, mamelucos ou mestiços de branco com outra raça ¿ chegaram a 43,8% do total. Depois, estão os pretos (6,8%) e os amarelos e indígenas (0,9%).

Divulgação
Vicente: efeito Obama
Vicente: efeito Obama
O reitor da Universidade Zumbi dos Palmares, José Vicente, aponta um conjunto de fatores que podem ter contribuído para o que ele chama de definição mais cristalina sobre a identidade do brasileiro.  Para o professor, há uma maior identidade do cidadão com sua característica de miscigenado. Podemos fazer uma leitura de que a identidade está sendo vista como um patrimônio de individualidade e de valor cultural, diz.

Vicente também lembra a eleição do presidente norte-americano. Obama influenciou com certeza. Qualquer pessoa que tinha dúvida de que poderia se afirmar como pardo, com o exemplo de Obama não teve mais, sugere. Outro exemplo dado pelo reitor é o jornalista da rede Globo Heraldo Pereira, que fez no Jornal Nacional uma manifestação de orgulho por ser negro Ele também funciona como espelho, diz.

A divisão por raça apresenta uma diferença bastante significativa entre as regiões, sendo que na Norte 71% das pessoas se dizem pardas e apenas 22,9% brancas. No Nordeste, 62,2% se afirmam pardos e há o maior número de pessoas declaradas pretas (7,9%).

Já a região Sul é a que tem o maior número de brancos, com 78,7%, e o menor de pretos, com 3,5%. Em seguida, está a Sudeste, com 56,8% da população se declarando branca.

Migrantes

A pesquisa mostra que houve aumento em 2008 das pessoas não naturais do município de residência. Em 2007, eram 39,8% e passaram para 40,1%.

A região Centro-Oeste foi a única que teve população não natural do município de moradia superior à natural, com 54,2%. Em seguida, estão Sul (44%), Norte (43,3%), Sudeste (41,3%) e Nordeste (31,8%).

Conforme o IBGE, pessoas com 60 anos ou mais são a maioria dos migrantes e esse perfil etário mais velho pode estar relacionado à busca por melhores oportunidades de trabalho.

Veja a distribuição da população por raça e região

Divulgação

Veja os principais dados da Pnad 2008:

Leia mais sobre: Pnad

    Leia tudo sobre: pnad

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG