Cresce número de mulheres que recorrem ao botox antes dos 30 anos

As mulheres de São Paulo, cada vez mais cedo, aderem ao botox. Segundo dermatologistas, muitas pacientes já fazem aplicação de toxinas botulínicas antes dos 30 anos de idade.

Agência Estado |

As lutadoras precoces contra as rugas chegam a representar até 25% do movimento das clínicas de estéticas ouvidas pela reportagem. Os últimos números oficiais da Sociedade Americana de Cirurgia Plástica e Cosmética mostram que, em 2007, só nos Estados Unidos, 2,7 milhões de aplicações de botox foram realizadas.

Em dez anos, o crescimento da utilização do procedimento, que consiste na injeção de uma toxina que evita o enrugamento da pele, foi de 446%. Em 22% dos casos, os pacientes que se submeteram à técnica em 2007 tinham entre 19 e 34 anos. Vera Cardim, cirurgiã plástica do Hospital Beneficência Portuguesa, estima que as mulheres com menos de 30 anos de idade já representem um quinto do total de pacientes que procuram os efeitos do botox. “Essa procura antes dos 30 tem acontecido cada vez mais, porém ainda é menor do que seria o ideal”, afirma.

A especialista justifica o uso preventivo do botox. “A ruga é uma fadiga da derme (tecido da pele). Se contrairmos a musculatura em uma fase em que a fadiga não é tão expressiva, fatalmente teremos um retardo de rugas nessa pele.” Dermatologista do Hospital Samaritano, Gabriela Sabanova, também acredita nos efeitos positivos do chamado botox preventivo. “Nas pacientes mais novas a aplicação é profilática. Como o objetivo é amenizar os efeitos da ruga, e não paralisar a pele quando a linha de expressão é mais forte, usamos até menos botox”, afirma Gabriela.

A dermatologista diz ainda que as menores de 30 anos representam 10% da clientela, normalmente as que têm pele e olhos claros - que acabam forçando a linha de expressão por causa da fragilidade à luz. A cautela citada pelos especialistas é que a aplicação não pode ser feita em qualquer local, é preciso referência e um médico responsável pelo procedimento.

Orientação

Já o médico da Sociedade Brasileira de Dermatologia regional São Paulo, Jayme Oliveira Filho, diz ser totalmente contrário à aplicação precoce da toxina botulínica. “É preciso fazer um apelo para diminuir essa neura pela beleza de algumas”, opina. “Não tem cabimento o uso em mulheres tão novas, o botox deveria ser um recurso reservado para a orientação médica, não desta forma.” Se o botox preventivo não é unanimidade, todos concordam, porém, que evitar sol e fumo são as principais formas de combater o envelhecimento.

Fernanda Aranda

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG