O Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de São Paulo (Crea-SP) revelou hoje que a empresa responsável pela troca de telhas do teto da sede da Igreja Renascer em Cristo, no Cambuci, centro da capital, não possui registro no órgão. Segundo o Crea-SP, o registro obrigatório para os profissionais e empresas que executam obras está previsto em lei.

A igreja afirmou desconhecer que a Etersul Coberturas e Reformas não contasse com o registro. No último trimestre do ano passado, a empresa foi a responsável pela troca das telhas do templo. Segundo a Renascer, a obra durou cerca de 70 dias e não abrangeu serviço na estrutura da cobertura. Procurada, a Etersul informou que se pronunciará "oportunamente" sobre o caso.

Hoje, a Renascer anunciou que está sendo elaborado o projeto de demolição do que restou da sede da igreja, no Cambuci, no centro de São Paulo, após o desabamento do teto do imóvel, no domingo. O plano para iniciar a obra será apresentado à Prefeitura e, a partir daí, uma empresa contratada pela Renascer fará a demolição. "Acreditamos que até o final dessa semana esse assunto estará decidido", informou a igreja, em nota.

Os trabalhos do Instituto de Criminalística (IC) estão condicionados a esse processo. Como existe o risco de novos desabamentos, os peritos aguardam a contratação da empresa que fará a demolição para voltar a avaliar o local do acidente. Segundo o IC, até agora, três peritos estiveram no terreno no dia do desastre, que deixou 9 mortos e mais de 100 feridos, e na segunda-feira. Oito casas e os fundos de uma loja de roupas tiveram de ser interditados, em razão da inclinação de um muro do tempo.

(Elvis Pereira/16h58)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.