A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) criada para investigar o repasse de verbas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) vai incluir na investigação a cooperativa acusada de desviar o dinheiro de madeira no assentamento Zumbi dos Palmares, em Iaras, interior de São Paulo. Os deputados Bruno Araújo (PSDB-PE) e Ruy Pauletti (PSDB-RS), que integram a comissão, conseguiram aprovar dois requerimentos hoje com pedidos de informações aos Ministérios da Justiça e do Desenvolvimento Agrário sobre o convênio do Incra com a cooperativa do MST que permitiu o corte da floresta de pinus.

Parte do dinheiro da madeira, que custou R$ 13 milhões aos cofres da União, foi desviada.

De acordo com o deputado Araújo, o objetivo é reunir documentação para levar o caso à CPMI assim que ela iniciar os trabalhos de apuração. Entre os documentos solicitados estão o teor do convênio e as prestações de contas feitas pela cooperativa, com a discriminação dos pagamentos efetuados a terceiros e valores recebidos. O pedido inclui a metragem, o valor da madeira extraída e a identificação dos responsáveis pela cooperativa. Pede ainda a discriminação das benfeitorias feitas no assentamento com o uso das verbas.

O requerimento assinado pelo deputado Pauletti pede informações sobre os inquéritos abertos pela Polícia Federal para apurar os incêndios provocados na plantação de pinus.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.