Erenice Guerra, apontada pela oposição de ter montado um dossiê contra o PSDB a mando da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. A presidente da CPI, senadora Marisa Serrano (PSDB-MS), recuou em sua intenção de encerrar os trabalhos em caso de rejeição dos requerimentos." / Erenice Guerra, apontada pela oposição de ter montado um dossiê contra o PSDB a mando da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. A presidente da CPI, senadora Marisa Serrano (PSDB-MS), recuou em sua intenção de encerrar os trabalhos em caso de rejeição dos requerimentos." /

CPI rejeita convocações, mas Marisa aceita continuar trabalhos

BRASÍLIA - A CPI mista dos Cartões Corporativos rejeitou, nesta quarta-feira, quase todos os requerimentos de convocações de autoridades e servidores para esclarecer sobre uso despesas da Presidência da República, inclusive o de http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/04/03/tiroteio_deixa_11_mortos_em_favela_do_rio_1257362.htmlErenice Guerra, apontada pela oposição de ter montado um dossiê contra o PSDB a mando da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. A presidente da CPI, senadora Marisa Serrano (PSDB-MS), recuou em sua intenção de encerrar os trabalhos em caso de rejeição dos requerimentos.

Rodrigo Ledo ¿ Último Segundo/Santafé Idéias |

A reunião desta quarta da comissão foi marcada por horas de debates, e até bate-boca entre governistas e aliados, sobre o vazamento do suposto dossiê contra tucanos por parte do senador Álvaro Dias (PSDB-PR). Somente depois desse tema é que a senadora Marisa Serrano conseguiu propor a discussão e votação sobre requerimentos. 

Mas aí houve um impasse. Os governistas queriam adiar a votação, enquanto os oposicionistas tentavam votar os quase 40 requerimentos, mesmo que fosse para haver rejeição dos pedidos de convocação de autoridades e funcionários públicos portadores de cartões de pagamento da Presidência.

Queremos seguir a pauta. Queremos ser derrotados para mostrar que quem quer enterrar a CPI é o governo, discursou o deputado federal Vic Pires (DEM-PA).

A vontade da oposição acabou prevalecendo e somente um requerimento foi aprovado, o da convocação de Alexandre Correia Abreu, diretor da BB cartões.

Os oposicionistas ficaram entre lamentos e promessas de outras iniciativas para constranger o governo. A base governista nega os requerimentos sistematicamente. Mas temos outras saídas para investigar, observou o líder do PSDB no Senado, senador Arthur Virgílio, que prometeu anunciar a nova estratégia na tarde desta quinta.

Para o relator da CPI, o governista Luiz Sérgio (PT-RJ), o resultado da votação foi coerente com a linha de trabalho estabelecido no início das atividades da comissão. Ele ressaltou que os requerimentos só teriam chance de ser aprovados caso fossem apreciados após os depoimentos da próxima semana ¿ o do general Armando Cardoso, ex-ministro-chefe da Secretaria de Segurança Institucional da Presidência, no governo FHC, e general Jorge Félix, atual ocupante do cargo.

Defendemos que só se deliberasse sobre essa questão (convocações de autoridades e quebras de sigilo) depois do debate com os generais na próxima semana. Como os requerimentos foram colocados antes, foram rejeitados, comentou o petista.   

Futuro

A presidente da CPI resolveu não radicalizar mesmo com a rejeição de tantos requerimentos, mesmo tendo dito, antes da reunião desta quinta, que iria encerrar os trabalhos da comissão caso nenhum pedido fosse aprovado.

Na próxima terça-feira pretendo fazer uma reunião com o relator e o vice-presidente da CPI para discutir encaminhamentos futuros para esta comissão, a respeito de oitivas e votação de requerimentos que porventura houver, amenizou Marisa Serrano. 

Um dos fatos que ajudou na decisão da tucana foi o anúncio da chegada dos primeiros dados requeridos pela CPI aos ministérios. De acordo com o relator, os ministérios do Planejamento e da Previdência Social prometeram para esta tarde a entrega de 72 caixas com documentos, incluindo tanto despesas das chamadas contas tipo B (da época do governo FHC) a gastos de cartões corporativos dos três últimos governos (FHC e Lula).

Vou me reunir com a equipe técnica de que disponho para estabelecer uma metodologia de trabalho, para verificar qual melhor forma de manusear esses dados que estão chegando, disse o deputado federal Luiz Sérgio.

Leia também:

Leia mais sobre: cartões corporativos

    Leia tudo sobre: cpi dos cartões

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG