CPI precisa de mais documentos antes de novas convocações, diz deputado

BRASÍLIA - O deputado Gustavo Fruet (PSDB-PR), disse nesta segunda-feira que a CPI dos Grampos precisa obter mais documentos antes de fazer novas convocações. A declaração foi dada devido à terceira oitiva, marcada para esta quarta-feira (24), do chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência, general Jorge Félix. Para o parlamentar, o depoimento por si só não deve acrescentar muito para as investigações e a comissão deveria priorizar a obtenção de documentos e sigilos de operações.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

Acordo Ortográfico

Entre os dados citados por Fruet constam a lista de escutas telefônicas autorizadas pela Justiça, que foi enviada pelas operadoras mas, devido à diferença de metodologia, foi impossível unir as informações e tabulá-las como um único dado. Além da lista, Fruet também avalia ser necessário a obtenção dos  sigilos das operações Chacal e Satiagraha da Polícia Federal.

No caso da Chacal, a intenção é analisar a participação da empresa de espionagem Kroll, que supostamente teria grampeado telefones de adversários do banqueiro Daniel Dantas numa disputa societária.

Em relação à Satiagraha, os deputados querem saber o conteúdo de todas as escutas autorizadas pela Justiça, uma vez que membros da oposição levantam a possibilidade de trechos terem sido editados ou até mesmo ter havido proteção a membros do governo.

"Hoje temos somente uma fala contestando a outra. Precisamos de documentos antes de fazer novas convocações", ressaltou Fruet.

    Leia tudo sobre: cpi dos grampos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG