CPI ouve técnico acusado de fazer grampos

BRASÍLIA - A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Escutas Telefônicas ouve nesta terça-feira na Câmara dos Deputados três pessoas apontadas como suspeitas de montarem grampos ilegais no Rio de Janeiro. Waldecir Alves de Oliveira, Marlésio Maurício Martins e Alex Martins foram citados em depoimentos anteriores na comissão e serão ouvidos separadamente.

Regina Bandeira - Último Segundo/Santafé Idéias |

Enquanto o primeiro depoente Waldeci de Oliveira é interpelado, os outros dois ficam de fora da sala de reunião. A medida foi tomada pelo presidente da CPI, deputado Marcelo Itagiba (PMDB-RJ), para que os três não escutem os depoimentos e seja possível comparar os depoimentos. 

Os suspeitos foram citados no depoimento do gerente de Operações Especiais da Oi Fixo (ex-Telemar), Arthur Madureira Pinho, e do ex-técnico em rede de acesso da operadora, José Luiz da França Neto, prestado em fevereiro. Waldecir seria grampeiro profissional, possuindo equipamentos para realizar escutas em sua casa, segundo informações de França Neto. 

Na tarde desta sexta-feira, a acusação foi negada por Waldeci. Ele afirmou não fazer escutas e disse ser dono de uma empresa legal de telecomunicações. O ex-funcionário da Telemar é técnico em instalação e reparo e nunca teria visto grampos. Segundo ele, sua empresa oferece serviços como instalação de identificador de chamadas e de gravadores, além de fazer varreduras contra escutas ilegais.


Leia mais sobre: CPI dos Grampos

    Leia tudo sobre: cpi dos grampos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG