CPI dos Grampos encerra trabalhos; Daniel Dantas tem pedido de indiciamento aprovado

BRASÍLIA - A CPI dos Grampos encerrou seus trabalhos nesta terça-feira, após um ano e quatro meses de investigações sobre denúncia de escutas telefônicas ilegais no País. Os deputados rejeitaram hoje as alterações propostas no relatório final feitas pelo deputado Laerte Bessa (PMDB-DF) e mantiveram o parecer da relatora Iriny Lopes (PT-ES).

Carol Pires |

Iriny Lopes substituiu, na semana passada, o cargo de relator da CPI, antes ocupado por Nelson Pellegrino (PT-BA). Pellegrino pediu licença da Câmara dos Deputados para assumir o cargo de secretário de Justiça da Bahia.

No relatório final foi pedido o indiciamento do sócio-fundador do Opportunity, Daniel Dantas, por interceptação telefônica ilegal. 

O presidente da CPI, deputado Marcelo Itagiba (PMDB-RJ), chegou a apresentar um voto em separado pedindo o indiciamento do delegado da Polícia Federal Protógenes Queiroz e o ex-diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Paulo Lacerda, sob acusação de falso testemunho. O parecer, porém, não foi colocado em votação.

DEM, PPS e PSDB apresentaram, juntos, outro parecer paralelo. O PSol também elaborou um voto em separado. Mas, por sugestão da relatora, apesar de nenhum dos documentos terem sido votados, todos foram anexados ao relatório final da CPI e encaminhado ao Ministério Público.

Leia mais sobre: CPI dos Grampos

    Leia tudo sobre: cpi dos grampos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG