CPI dos Grampos divulga detalhes do inquérito contra Protógenes

BRASÍLIA - A CPI dos Grampos da Câmara dos Deputados disponibilizou nesta quinta-feira o inquérito elaborado pela corregedoria da Polícia Federal sobre os supostos abusos da Operação Satiagraha. Sob o comando do delegado Protógenes Queiroz, a operação policial mandou prender, por duas vezes, o sócio-fundador do Banco Opportunity, Daniel Dantas, no ano passado.

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

Apesar de não ter havido sessão da CPI dos Grampos nesta quinta, a secretaria da comissão permitiu aos jornalistas que tivesem acesso a todos os documentos do inquérito. Apenas as mídias dos supostos grampos que Protógenes teria feito ilegalmente contra autoridades não foram disponibilizadas, pois estão sob sigilo de Justiça.

O inquérito foi entregue à CPI pelo juiz Ali Mazloum, da 7ª Vara Criminal Federal, que cuida do caso. No total, a investigação soma 11 volumes, com cerca de 200 páginas cada.

De acordo com reportagem da revista Veja, Protógenes teria investigado ilegalmente a vida dos ministros Mangabeira Unger (Assuntos Estratégicos), Dilma Rousseff (Casa Civil), o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, além de senadores, como Heráclito Fortes (DEM-PI) e ACM Júnior (DEM-BA), e ainda o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Depois da publicação da reportagem, a CPI dos Grampos, que acabaria esta semana, prorrogou os trabalhos por mais 60 dias, e aprovou a convocação do ex-diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Paulo Lacerda, do ex-ministro José Dirceu (Casa Civil) e do delegado Prótogenes Queiroz.

O depoimento de Protógenes ao colegiado está marcado para o dia 1º. de abril.


Veja também:

Leia mais sobre: CPI dos Grampos

    Leia tudo sobre: cpi dos gramposprotógenes queiroz

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG