BRASÍLIA - A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Escutas Telefônicas Clandestinas adiou mais uma vez a votação do relatório final de seus trabalhos.

Substituta de Nelson Pellegrino, que se afastou do cargo, a nova relatora, Iriny Lopes (PT-ES), pediu prazo de 24 horas para analisar os quatro votos em separado apresentados ao relatório.

A deputada afirmou que, na reunião desta quarta, deverá ser iniciada a discussão do parecer e, até lá, ela decide se acolherá alguma das propostas apresentadas.

Nesta terça, o presidente da CPI, deputado Marcelo Itagiba (PMDB-RJ), leu seu voto em separado, apresentado anteriormente, no qual propõe o indiciamento do banqueiro Daniel Dantas e dos delegados da Polícia Federal Protógenes Queiroz e Milton Campano. Eles não foram indiciados no relatório de Pellegrino.

Do quatro votos, um foi apresentado pelo deputado Laerte Bessa (PMDB-DF), que propõe a exclusão do indiciamento da delegada de polícia Eneida Orbage e do sargento Idalberto Martins. Itagiba adiantou que a votação do relatório final deverá ocorrer na quinta-feira.

Leia mais sobre: CPI dos Grampos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.