CPI do MST já tem presidente mas investigação fica para 2010

BRASÍLIA (Reuters) - A CPI que investigará o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) será presidida pelo senador Almeida Lima (PMDB-SE) e terá como relator o deputado Jilmar Tatto (PT-SP). A escolha foi feita nesta quarta-feira na primeira reunião da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito, que terá 120 dias para concluir os trabalhos. A próxima sessão será na quarta-feira e depois os trabalhos serão interrompidos pelo recesso parlamentar, que começa em 23 de dezembro.

Reuters |

O foco da CPI é a investigação de repasses de recursos públicos para o MST. A suspeita é de que ONGs ligadas ao movimento agrário façam convênios com a União e transfiram a verba para o movimento.

Tatto não descarta incluir a Confederação Nacional da Agricultura nas investigações. "Se houver desvio, seja do MST ou da CNA, isso é a investigação que vai dizer", disse.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG