s retoma trabalhos sem foco definido - Brasil - iG" /

CPI das ONG s retoma trabalhos sem foco definido

O presidente da CPI das ONGs, senador Heráclito Fortes (DEM-PI), reabriu nesta quarta-feira os trabalhos da comissão, que teve seu prazo de duração prorrogado até julho do próximo ano. Com cinco parlamentares presentes, a reunião definiu o envio de um convite para que o chefe do gabinete de Segurança Institucional (GSI) da presidência da República, Jorge Félix, compareça à CPI. Nenhum dos presentes soube explicar exatamente a razão.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

De acordo com Heráclito, o convite a Félix "foi um requerimento do ex-senador Sibá Machado" (PT-AC), que ocupava a vaga da senadora Marina Silva (PT-AC), quando esta estava no ministério do Meio Ambiente. 

O requerimento de Sibá, na verdade, busca informações genéricas sobre a visão do GSI em relação às ONG's que atuam na Amazônia.

Entre os presentes na reunião estavam o relator da CPI, senador Inácio Arruda, o líder do PMDB na Casa, Valdir Raupp (GO) e João Pedro (PT-AM). Raupp revelou que a base do governo vai se reunir na próxima semana para definir os rumos da CPI. "Vamos saber o rumo na semana que vem, saber como vamos atuar", disse.

O mais provável é que a base opte pelo esvaziamento da CPI. João Pedro disse que o relatório preliminar de Arruda já conta com mais de 1,2 mil páginas, e que não existem fatos novos que justifiquem a ampliação do prazo para a comissão. De acordo com ele, a reunião desta manhã direciona a CPI para seu fim.

Tal posição não é compartilhada pelo presidente Heráclito. Ele disse que, com o novo prazo, os trabalhos devem continuar. "A CPI não pode só tratar de marcos regulatórios, mas precisa buscar os desvios de recursos destinados às ONG's", disse.

Ele ainda citou que desde o começo do ano a base governista vem dificultando as investigações e impedindo o andamento dos trabalhos. Questionado sobre o que levaria o governo a mudar sua postura e colaborar com a CPI neste novo momento ele respondeu: "Não sei".

    Leia tudo sobre: cpi das ongs

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG