CPI das milícias ouve os dois acusados de atentado contra delegacia no Rio

RIO DE JANEIRO - A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembléia Legislativa do Rio (Alerj) destinada a investigar a ação das milícias ouvirá, nesta quinta-feira, os dois homens acusados de terem fabricado a bomba que foi jogada contra a 35ª DP (Campo Grande), no último dia 11.

Redação |

Antônio Santos Salustiano e Ocian Gomes Ranquine Salustiano, que estão presos na Polinter, foram detidos no dia seguinte ao atentado contra a unidade policial. O presidente da comissão, Marcelo Freixo (PSol), destacou a importância dessa convocação.

São duas pessoas essenciais para ouvirmos, com muita atenção, já que estão sendo acusados por um atentado contra uma delegacia que vem investigando a ação de milicianos na zona Oeste, região que tem sido amedrontada por esses grupos. Essa CPI é para valer e precisamos de todos os dados possíveis para investigar as ações criminosas, mesmo daqueles que deveriam dar segurança à população, destacou Freixo.

Leia mais sobre: milícias no Rio

Veja também:

    Leia tudo sobre: alerjmilíciasrioviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG