CPI da Petrobras e avaliação do governo na pauta

BRASÍLIA (Reuters) - Resultados de nova pesquisa CNT-Sensus sobre a avaliação do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito da Petrobras no Senado são destaques do cenário político da próxima semana. A 97a pesquisa Sensus, encomendada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), será o primeiro exame de opinião não encomendado por um partido político após o anúncio do câncer da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, pré-candidata do PT à sucessão presidencial de 2010.

Reuters |

Na pesquisa anterior, divulgada no final de março, o governo Lula recebeu avaliação positiva de 62,4 por cento dos entrevistados e o desempenho pessoal do presidente teve 76,2 por cento de aprovação.

Na terça-feira, será instalada a CPI da Petrobras no Senado. A comissão pretende investigar supostas irregularidades cometidas pela estatal em licitações e pagamentos de impostos. A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) também será alvo da CPI.

Com a oposição acuada, a presidência deve ser ocupada pelo senador petista João Pedro (AM) e a relatoria, pelo líder do governo, senador Romero Jucá (PMDB-RR).

O presidente Lula viaja à América Central, onde visita Salvador, Guatemala e Costa Rica. Tentará ampliar vínculos bilaterais e iniciar negociações comerciais entre a região e o Mercosul.

Veja, a seguir, os principais acontecimentos da próxima semana.

SEGUNDA-FEIRA

-- Em El Salvador, Lula assiste à posse de Mauricio Funes na Presidência. Mais tarde, participa de almoço em homenagem aos chefes de Estado e de governo oferecido pelo novo presidente do país. No fim da tarde, Lula parte para a Guatemala onde participa de jantar oficial oferecido pelo presidente Álvaro Colom.

-- A Confederação Nacional do Transporte (CNT) divulga os resultados da 97a pesquisa CNT/Sensus que traz a avaliação do governo e do desempenho pessoal do presidente Lula. Informa ainda a opinião do brasileiro sobre os impactos da crise financeira e se o país está preparado para combater a gripe H1N1.

TERÇA-FEIRA

-- Na Cidade da Guatemala, Lula se reúne com o prefeito da capital e ex-presidente da República, Alvaro Arzú Irigoyen, que faz a entrega das chaves da cidade ao presidente brasileiro. Em seguida, Lula faz reunião com o presidente Colom, seguida de entrevista coletiva e almoço em um dos "Refeitórios Solidários". Mais tarde, parte para San José da Costa Rica.

-- No Senado, instalação da CPI da Petrobras, às 14h.

QUARTA-FEIRA

-- Pela manhã, Lula se reúne com o presidente da Costa Rica, Oscar Arias. Assinam atos e dão entrevista para a imprensa.

-- A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, divulga balanço do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

-- Na Câmara dos Deputados, acontece o seminário "O Brasil diante do Pré-Sal". Entre os participantes está o diretor da ANP, Victor de Souza Martins, e Guilherme Estrela, diretor de Exploração e Produção da Petrobras.

QUINTA-FEIRA

-- De volta a Brasília, Lula participa da 30a reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES). O chamado Conselhão tem 102 conselheiros entre eles os ministros Guido Mantega (Fazenda), Dilma Rousseff (Casa Civil) e Paulo Bernardo (Planejamento), além de líderes empresariais e sindicais.

Mais tarde, Lula faz reunião sobre o PAC e, em seguida, tem audiência com o ministro Paulo Bernardo. À noite, Lula tem jantar e cerimônia de entrega da Ordem do Planalto.

-- O ex-presidente da República, Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), e o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, ambos do PSDB, são ouvidos pela Justiça Federal em São Paulo como testemunhas do caso do mensalão.

SEXTA-FEIRA

-- Lula viaja para Porto Seguro (BA). Segue para a cidade de Caravelas, onde assina ato de criação de reservas extrativistas. Na viagem, também visita Abrólios.

(Reportagem de Ana Paula Paiva)

    Leia tudo sobre: lula

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG