CPI convoca prefeito acusado de envolvimento com prostituição infantil

BRASÍLIA - A CPI da pedofilia aprovou nesta terça-feira (22) a convocação do prefeito de Niquelândia (GO), Ronan Batista, para prestar depoimentos. Ele faz parte de um grupo de 24 pessoas acusadas de envolvimento com uma rede de prostituição infantil. Além de Ronan, dois secretários municipais (Gláucio Almeida e Ruslei Olegário), seu chefe de gabinete (Geraldo Pedroni) e seu motorista (Anderson Rocha) ¿ todos acusados ¿ foram convocados.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

Durante a sessão da CPI nesta manhã, os parlamentares ouviram depoimentos do juiz e do promotor de justiça de Niquelândia, Rinaldo Barros e Bernardo Borges, respectivamente.

Ambos defenderam alterações na legislação, alegando a necessidade de punições mais rigorosas e textos menos dúbios, que têm permitido a diversos envolvidos com prostituição infanto-juvenil se livrarem da cadeia.

Além da legislação, Borges criticou o que chamou de "questão cultural" brasileira, segundo ele, permissiva com a prostituição. O promotor destacou que em outros países não há uma aceitação do crime como há no Brasil.

Ele lembrou da personagem Bebel, interpretada por Camila Pitanga na novela Paraíso Tropical. De acordo com ele, após ver a atriz, crianças ficam seduzidas e podem repetir o comportamento.

Borges acredita que a TV tem grande influência no comportamento da população e que acaba ficando difícil para familiares competir com o meio de comunicação.

"Como nós, pais, vamos competir com [Reynaldo] Gianechinni", pontuou.

Leia mais sobre:  pedofilia

    Leia tudo sobre: cpi da pedofilia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG