CPI adia depoimento de Jobim e convida chefe de segurança do STF

BRASÍLIA - A CPI dos Grampos, na Câmara dos Deputados, adiou o depoimento do ministro da Defesa, Nelson Jobim, para o próximo dia 17 de setembro, quarta-feira. No lugar do ministro foram convidados o chefe da seção de Operações Especiais da Secretaria de Segurança do Supremo Tribunal Federal (STF), Aílton Carvalho de Queiroz; e o Diretor do Departamento de Contra-Inteligência da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Paulo Maurício Fortunato Pinto. Ambos deporão à CPI nesta quarta-feira.

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

Acordo Ortográfico

Jobim telefonou ontem à tarde para o deputado Marcelo Itagiba anunciando a impossibilidade de participar da CPI esta semana. Apesar do presidente da CPI ter considerado a possibilidade de o ministro rever sua agenda, o depoimento foi adiado.

A comissão pretende esclarecer denúncias de que a Abin teria grampeado autoridades brasileiras, dentre elas o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes. O depoimento de Jobim é esperado porque partiu do próprio ministro a denúncia de que o Exército e a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) possuem aparelhos capazes de fazer interceptações telefônicas, o que é proibido por lei.

Leia também:

Leia mais sobre: CPI dos Grampos

    Leia tudo sobre: cpi dos grampos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG