O ministro das Comunicações, Hélio Costa, defendeu hoje uma grande aliança para a disputa eleitoral em Minas Gerais entre os aliados do governo federal, especialmente seu partido, o PMDB, e o PT do ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel e do ministro do Desenvolvimento Social, Patrus Ananias. Comemorando o resultado da pesquisa DataFolha que dá a ele a liderança nas intenções de voto para governador, Costa evitou considerar seu desempenho com uma indicação de que ele, e não um candidato do PT, terá o apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Estado.

"O PMDB não faz imposições, parte do princípio de que vamos ter uma série de pesquisas daqui até março. Vamos chegar às convenções dos partidos, especialmente do PMDB e do PT, em condições de nós podermos pegar o candidato que melhor desempenho tem em várias pesquisas e pedir a ele que seja o candidato de conciliação, o candidato da aliança", afirmou.

A pesquisa mostra Hélio Costa com 31% das intenções de voto, contra 19% de Fernando Pimentel e 10% do vice-governador de Minas, Antonio Anastasia (PSDB). No cenário em que o candidato petista é Patrus Ananias, Costa tem 32%, Patrus 12% e Anastasia 10%.

"Eu continuo insistindo que nós devemos fazer uma grande aliança. Minas Gerais é um Estado muito grande", disse. "Eu já passei por isso antes. Concorrer contra o governo, contra estruturas poderosas é muito difícil, então a gente precisa ter consciência de que a união de forças é que vence eleição. Vamos continuar trabalhando, independente de quem está na frente nas pesquisas, por uma grande união", acrescentou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.