Cortes romenas devolvem pinturas a filho do ditador Nicolae Ceausescu

BUCARESTE, Romênia - Uma corte romena determinou que um museu devolva obras artísticas valiosas que foram confiscadas durante a revolta anti-comunista de 1989 ao filho do ditador Nicolae Ceausescu.

AP |

Valentin Ceausescu afirmou que a coleção pertencia a seu irmão, Nicu, que morreu em Viena em 1996 de cirrose. Vaentin Ceausescu é seu herdeiro.

A corte de Bucareste determinou a devolução nesta quinta-feira. A explicação da decisão será publicada nesta sexta-feira e pode ser apelada.

As obras incluem pinturas e esculturas de artistas romenos famosos que estão sendo mantidas pelo Museu Nacional de Arte. As autoridades confiscaram as obras quando Nicu Ceausescu foi preso, durante o levante.

Nicu, um dos líderes do Partido Comunista, foi acusado de genocídio e da morte de 89 pessoas na cidade de Sibiu durante a revolta. Ele cumpriu três anos de uma sentença de 20 anos de prisão antes de ser libertado em novembro de 1993 por causa de sua saúde.

Entre as obras que ele possuía estão trabalhos de Theodor Pallady, Corneliu Baba e Nicolae Tonitza.

Nicu Ceausescu entrou com o a ação pouco antes de sua morte, disse o irmão.

"Eu espero que eles devolvam as obras, mas não estou otimista", disse.

    Leia tudo sobre: arte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG