Corte do Malaui autoriza Madonna a adotar segunda criança

BLANTIRE ¿ A pop star norte-americana Madonna recebeu permissão nesta sexta-feira para adotar uma segunda criança do Malaui, após a Suprema Corte do país ter derrubado a decisão de um tribunal menor em um caso que foi criticado por grupos locais de direitos civis.

Redação com Reuters |

Reuters

Madonna teria ficado "animada" com decisão final da Justiça de Malaui

O presidente da Suprema Corte, Lovemore Munlo, disse que Madonna tem demonstrado interesse em ajudar órfãos do Malaui, e que a menina de 4 anos Mercy James pode ter uma vida melhor com a estrela. Ele acrescentou que uma corte menor se equivocou ao recusar o pedido de adoção pelo fato de Madonna não ser residente do Malaui.

"Nós achamos que o juiz na corte menor deu muita importância para as notícias da mídia na questão de residência, e, para nós, isto não evidencia o suficiente para negar uma chance de Madonna adotar Mercy James. Por esta razão, nós admitimos o pedido de adoção de Madonna", disse Munlo. "Madonna tem demonstrado que ela é corajosa e que tem compaixão o suficiente para ir adiante na adoção."

A decisão da Suprema Corte não pode ser modificada. O advogado de Madonna disse que a cantora saudou a decisão. "Eu acabei de falar com Madonna e ela está bastante animada com esta notícia", disse à Reuters o advogado Alan Chinula. A mãe de Mercy morreu pouco após o nascimento e a criança passou toda a vida em um orfanato do sul de Malaui.

O governo do Malaui foi criticado após Madonna ter adotado um menino de 13 meses, David Banda, em 2006, por quebrar as regras que proíbem não-residentes de adotar crianças. Grupos de direitos humanos do país acusaram o governo de ter dado um tratamento especial a Madonna, uma cidadã norte-americana. O governo apoia a tentativa de adoção de Mercy, dizendo que Madonna é uma mãe digna.

Para adotar um menor, as leis do Malaui exigem para os estrangeiros uma residência de pelo menos 18 meses no país, condição que Madonna não cumpriu. A única exceção foi Madonna, quando adotou David Banda, que conheceu em 2006 em sua primeira visita ao Malauí. Na ocasião, ela foi acusada por ONGs de ter utilizado a fama e dinheiro para acelerar o processo.

A organização não-governamental Eye on Child protestou contra a adoção. "É claro que nós estamos decepcionados com a decisão judicial, porque nós sabemos que adoção apenas deveria ter sido outorgada em última instância", disse o diretor-executivo, Maxwell Matewele. "Mas nós também apreciamos que a decisão está levando em conta os procedimentos que podem ajudar a deter supostos traficantes de crianças."

Uma epidemia de Aids no país do sul da África já deixou órfãs mais de um milhão de crianças, e Madonna criou uma organização humanitária para crianças do Malaui. Em sua decisão judicial de abril, a juíza Esimie Chombo, que recusou a adoção, alertou contra adoções por celebridades, dizendo que isto poderia provocar o tráfico de crianças.

A estrela, que se divorciou no ano passado do diretor de cinema britânico Guy Ritchie, é uma das mais bem-sucedidas cantoras da indústria da música, com vendas superando 200 milhões de álbuns. Acompanhada pela filha de 12 anos, Lourdes, e seguida pela imprensa internacional, Madonna esteve entre o final de abril e o início de maio em Malaui, onde antes já tinha adotado David.

Além de David, Madonna tem dois filhos biológicos: Lourdes, fruto de uma relação com seu ex-preparador físico Carlos León, e Rocco, de seu casamento com Ritchie.

Leia mais sobre: Madonna

    Leia tudo sobre: madonna

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG