BRASÍLIA - A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) realiza uma reunião de conciliação com os funcionários dos Correios, com a mediação do Tribunal Superior do Trabalho (TST) neste momento. Os funcionários estão em greve desde a última terça-feira.

O presidente do TST, ministro Rider Nogueira de Brito, concedeu na sexta-feira, parcialmente, liminar pedida pelos Correios e determinou à Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (FENTECT) que mantenha o contingente mínimo de empregados, num percentual de 50%, necessário à manutenção dos serviços inadiáveis e de interesse público, em cada uma das unidades da empresa.

Ainda na sexta, os sindicalistas fizeram um ato na Praça da Sé, em São Paulo, onde enterraram simbolicamente o presidente da ECT, Carlos Henrique Almeida Custódio. De lá, seguiram em passeata até a Praça Ramos de Azevedo, no centro. Neste encontro os grevistas decidiram seguir com a paralisação até pelo menos a reunião de conciliação.

No quarto dia de greve dos funcionários, a quantidade de pacotes que estão esperando nas agências dos Correios é de 36 milhões e a adesão à greve, segundo os Correios, é de 36% dos carteiros.

Leia mais sobre: Correios

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.