Corregedoria vai investigar acampamento de manifestantes em gabinete

BRASÍLIA - A Mesa Diretora do Senado Federal decidiu nesta quinta-feira abrir processo na Corregedoria da Casa para investigar o uso do gabinete do senador Eduardo Suplicy (PT-SP) por 15 manifestante favoráveis ao italiano Cesare Battisti. Segundo o primeiro secretário da Casa, senador Heráclito Fortes (DEM-RN), o objetivo da investigação é impedir a abertura de precedentes.

Sarah Barros, repórter em Brasília |

"Não é um fato grave, mas abre um precendente perigoso. É preciso criar critério ou norma", afirmou. O julgamento sobre a extradição de Battisti aconteceu no Supremo Tribunal Federal no dia 9 deste mês e durou todo o dia. Os manifestantes teriam ficado no gabinete de Suplicy na noite anterior.

A justificativa apresentada pelo petista foi que os manifestantes pretendiam usar o banheiro. "Eu achei uma questão delicada. Quinze pessoas passarem a noite para ir ao banheiro está mal explicado", destacou Fortes.

Reforma do plenário

A Mesa Diretora também reforçou a intenção de realizar uma reforma no plenário do Senado durante o mês de dezembro. Fortes não soube dizer o custo, mas destacou se tratar de uma manutenção.

Leia mais sobre: Senado

    Leia tudo sobre: senado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG