Corregedoria quer informações de tribunal sobre vazamento de grampos de Sarney

BRASÍLIA - O Corregedor-Geral da Justiça Federal, ministro Hamilton Carvalhido, solicitou ao Corregedor Regional da Justiça Federal da 1ª Região, desembargador Olindo Herculano de Menezes, que preste informações em 48 horas sobre as providências adotadas em relação ao vazamento de conversas telefônicas obtidas mediante a quebra de sigilo telefônico autorizada pela Justiça Federal do Maranhão.

Agência Brasil |


Os diálogos foram interceptados pela Polícia Federal durante a Operação Boi Barrica, ligam Sarney aos atos secretos do Senado adotados na gestão do ex-diretor-geral Agaciel Maia. O presidente do Senado e seu filho, Fernando Sarney, teriam interferido na contratação do namorado de sua neta, Henrique Dias Bernardes, para um cargo na casa.

A investigação está sob sigilo, mas o conteúdo das degravações foi divulgado por mídia impressa e eletrônica a partir do dia 23 de julho.

Diretrizes estabelecidas em maio pelo Conselho da Justiça Federal (CJF) proibe  magistrados, servidores, autoridades policiais e seus agentes a  fornecer informações contidas em processos de publicidade restrita a terceiros ou à imprensa. A violação à norma pode acarretar na instauração de processo administrativo disciplinar.

Leia também:

Leia mais sobre: Sarney

    Leia tudo sobre: ato secretogramposarneysenado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG