Corregedoria do CNJ vai investigar Judiciário do ES

O corregedor nacional de Justiça, Gilson Dipp, anunciou hoje que vai abrir um procedimento para investigar a situação no Poder Judiciário do Espírito Santo. Nesta semana, durante a Operação Naufrágio, foram presos o presidente do Tribunal de Justiça (TJ) do Estado, Frederico Guilherme Pimentel, dois desembargadores, um juiz, dois advogados e uma funcionária do tribunal.

Agência Estado |

Eles são suspeitos de envolvimento em um esquema de venda de decisões judiciais. O procedimento tramitará na Corregedoria, que funciona no Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

O CNJ é o órgão encarregado de controlar a atuação administrativa do Judiciário e de supervisionar o cumprimento dos deveres funcionais dos magistrados. Conforme informação divulgada pelo Conselho, deverão ser encaminhadas para o órgão nos próximos dias as investigações realizadas perante o Superior Tribunal de Justiça (STJ), Corte que determinou as prisões. Em seguida, o corregedor vai analisar e investigar se foram cometidas infrações disciplinares pelos suspeitos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG