Corregedoria deve pedir cassação de Edmar Moreira

A falta de recibos e de testemunhas que comprovem a prestação de serviços de segurança durante dois anos e os indícios de que as empresas contratadas funcionavam apenas no papel deverão embasar o parecer da comissão de sindicância da Corregedoria da Câmara que deve pedir a abertura de processo de cassação de mandato do deputado Edmar Moreira (sem partido-MG). Para os responsáveis pela investigação, a apresentação das notas fiscais não foi suficiente para comprovar o serviço.

Agência Estado |

Ele teria contratado duas de suas próprias empresas em 2007 e 2008 para serviços de vigilância pagos com a verba indenizatória.

Em depoimento na semana passada, Edmar disse aos parlamentares que utilizava seguranças de suas empresas porque recebeu ameaças de morte em Minas e sofreu uma tentativa de sequestro em São Paulo. E, por ser um empresário bem-sucedido e viajar muito, disse que se sente mais seguro acompanhado por seguranças treinados e armados. A expectativa dos deputados de que Edmar apresentasse nomes e escalas de serviço dos vigilantes e recibos dos pagamentos foi frustrada.

Ele apresentou orçamentos de outras prestadoras de serviço para comprovar que os pagamentos feitos por seu gabinete a suas próprias empresas eram compatíveis com os preços de mercado. No entanto, reconheceu que a Ronda Ltda., em boa parte de 2008, teve o deputado como único cliente. Por isso, a prestação de contas do ano tem notas fiscais com números sequenciados. Somente no início do ano, segundo ele, a Ronda prestou serviço a um banco, mas o contrato não foi adiante.

A Itatiaia Ltda. - que prestou serviços ao deputado em 2007 - foi, segundo Edmar, vendida no início daquele ano e teve a falência decretada meses depois. A avaliação na comissão é de que dificilmente ele vai escapar de um processo no Conselho de Ética. O parecer deverá ficar pronto em até duas semanas para ser votado pela Mesa Diretora. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG