Corregedor do Senado descarta abertura de inquérito contra Tasso Jereissati

BRASÍLIA ¿ O corregedor-geral do Senado, senador Romeu Tuma (PTB-SP), avaliou nesta quinta-feira que não há necessidade de abrir sindicância para averiguar o caso do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), que usou parte de sua verba oficial de passagens aéreas pagas pelo Senado para fretar jatinhos.

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

De acordo com o corregedor Romeu Tuma, os senadores têm liberdade de usar a verba como quiserem. Ele tem R$ 15 mil para usar como quiser, disse. 

Dados do Sistema de Acompanhamento do Orçamento (Siafi) mostram que o senador usou, entre 2005 e 2007, R$ 469 mil com fretamento de jatinhos. Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, Tasso admitiu os gastos, mas somente de R$ 358 mil. 

O regimento do Senado não proíbe o uso da verba indenizatória e da cota de passagens como fretamento de aviões. Para usar o dinheiro com frete, Tasso foi autorizado pelo o ex-diretor-geral do Senado Agaciel Maia, e pelo ex-primeiro-secretário, Efraim Morais (DEM-PB).

A questão ética é pessoal, ponderou Tuma. Se não há impedimento, o cidadão é que decide se pode ou não pode, afirmou o senador Tuma.

Leia mais sobre:  Tasso Jereissati

    Leia tudo sobre: senado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG