BRASÍLIA - O deputado Edmar Moreira (DEM-MG), 2º vice-presidente da Câmara e corregedor da Casa, defendeu nesta terça-feira que o Supremo Tribunal Federal (STF) julgue os deputados acusados de quebra de decoro parlamentar. Na avaliação de Moreira, a Corte poderia ter maior imparcialidade nas decisões.

Hoje, a responsabilidade de analisar processos contra deputados é do Conselho de Ética. Questionado se defendia a extinção do Conselho, porém, Edmar Moreira negou ser favorável a isso. O colegiado, segundo ele, ficaria encarregado de votar a admissibilidade da denúncia.

É uma ideia que pretendo discutir não só com a Mesa Diretora, mas com toda a Casa, de que quando houver qualquer tipo de acusação com um de nossos pares, ela seja apurada até as últimas consequências. Mas, acho que nós deveríamos progredir, para instruir este processo, votarmos a admissibilidade e encaminharmos para a Justiça, disse.

Moreira observa que uma comissão formada por deputados não tem poder de polícia. Nós íamos nos desobrigar de dois ônus. Primeiro, daqueles de sermos acusados de qualquer tipo de parcialidade com relação aos nossos colegas. E para que não façamos uma intromissão inédita naquilo que é constitucionalmente da Justiça, afirmou.

Leia mais sobre: STF

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.