Corregedor da Polícia Civil de MG quer vídeo de treinamento irregular

Policiais do Grupo de Resposta Especial estariam envolvidos em assassinato de dois jovens no mesmo sítio onde a polícia fez buscas pelo corpo de Eliza

Gabriel Costa, iG Brasília |

A Polícia Civil de Minas Gerais informou em nota que o corregedor geral da corporação, Geraldo de Morais Júnior, pediu nesta segunda-feira que um veículo de comunicação - sem especificar qual - apresente o vídeo com imagens onde Marcos Aparecido dos Santos, suspeito de participação no caso Eliza Samudio, também conhecido como “Paulista” e “Bola”, aparece treinando policiais do Grupo de Resposta Especial (GRE) ao lado do então chefe da equipe, Júlio Monteiro, irmão do chefe da Polícia Civil do estado, Marco Antônio Monteiro.

O curso teria sido realizado no mesmo sítio em Esmeraldas onde a polícia realizou buscas pelo corpo da ex-amante do goleiro Bruno.

De acordo com a declaração da Polícia Civil, a análise do vídeo - exibido, pelo menos, pelas redes Globo e Band - pode resultar na instauração de um procedimento administrativo ou inquérito para apurar o envolvimento de policiais do GRE com um grupo de extermínio que teria assassinado dois jovens em maio de 2009, e depois esquartejado e incinerado os corpos no sítio.

Em novembro, foi instaurado inquérito policial para apurar o desaparecimento de Paulo César Ferreira e Marildo Dias de Moura. Desde então, 45 pessoas já prestaram depoimento, inclusive o próprio Marcos Aparecido. De acordo com a nota, as investigações estão sendo acompanhadas pelo Ministério Público, a pedido da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

Denúncias feitas por membros do GRE em maio e junho do ano passado levaram à instauração de oito inquéritos policiais e seis sindicâncias administrativas, informou a Polícia Civil de Minas, que destacou ainda que relatórios encaminhados à Justiça indiciam servidores por uso irregular de equipamentos, apropriação e uso de equipamentos, veículos, armas e munições, entre outras infrações.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG