RIO DE JANEIRO (Reuters) - A taxa de desemprego no Brasil ficou melhor que o esperado em maio, mas a renda caiu, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta quinta-feira. O desemprego nas seis regiões metropolitanas pesquisadas caiu para 8,8 por cento em maio, ante 8,9 por cento em abril.

Analistas ouvidos pela Reuters esperavam taxa de 9,0 por cento em maio, com os prognósticos variando de 8,6 a 9,5 por cento.

O rendimento médio real dos trabalhadores totalizou 1.311,70 reais, queda de 1,1 por cento ante abril e alta de 3 por cento sobre maio do ano passado.

A população ocupada totalizou 20,9 milhões de pessoas em maio, variação positiva de 0,3 por cento na comparação mensal e de 0,2 por cento na anual.

(Por Rodrigo Viga Gaier; Texto de Vanessa Stelzer; Edição de Alberto Alerigi Jr.)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.