Correção: Projetos em SP estimulam hábito de leitura

A nota enviada anteriormente citava o site americano do projeto Livro para Voar, mas o correto é o leitor acessar o site nacional para participar. Segue o texto corrigido: A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) iniciou ontem a campanha Livro Livre, que disponibilizará cerca de 5 mil títulos e 15 mil exemplares para doação em 27 estações de trem da Grande São Paulo.

Agência Estado |

Obras como O Triste Fim de Policarpo Quaresma , O Cortiço e O Guarani podem ser retiradas nas estações participantes até sexta-feira. A única exigência é que, terminada a leitura, o exemplar seja abandonado em algum lugar público. “Deve ser mentira que o brasileiro não lê. As pessoas apenas não têm acesso ao livro, o que pretendemos melhorar com essa iniciativa”, explica a idealizadora do projeto, Maria Cândida de Assis.

O professor de história Adir de Almeida Mota é um exemplo de paixão pela leitura. Ao ler Crime e Castigo , de Fiódor Dostoiévski, ele se encantou pela literatura russa e ficou surpreso ao encontrar outro livro do autor entre as obras da CPTM, Os Irmãos Karamázov . “Eventos como esse ajudam muito a promover o interesse.”

Já em todo Brasil começa amanhã o projeto Livro para Voar. Com o apoio da Ale Combustíveis, mais de 6.700 exemplares de vinte títulos serão entregues em postos participantes pelo País. A proposta é a mesma, mas as obras são mais modernas. Diferente dos livros livres da CPTM, os livros que voam da Ale devem ser cadastrados no site Livro para Voar . Os leitores devem deixar comentários sobre o que leram e indicar o último lugar em que o livro foi visto, o que possibilita encontrar obras. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG