Correção: PMDB formaliza candidatura de Garibaldi

A nota enviada anteriormente contém um erro. Jader Barbalho não é senador e quem não esteve presente na reunião foi o senador Jarbas Vasconcelos (PE).

Agência Estado |

Segue o texto corrigido:

A bancada de senadores do PMDB formalizou hoje a candidatura do presidente do Senado, Garibaldi Alves (RN), à reeleição. A informação foi divulgada por senadores que participaram de reunião da bancada, concluída nesta tarde, e pelo próprio Garibaldi. Eles relataram que os 16 participantes do encontro tomaram a decisão por unanimidade e que houve um 17º voto a favor de Garibaldi - o do senador Walter Pereira (MS), que, antes de viajar, deixou um sufrágio escrito.

Ao sair da reunião, Garibaldi informou que buscará votos nos demais partidos. Ele disse que não teme problemas relacionados ao fato de estar se candidatando na mesma sessão legislativa. O atual presidente da Casa assumiu o cargo em dezembro do ano passado. Ele afirmou que confia nos pareceres dos advogados que concluíram que ele pode se candidatar, já que está exercendo um mandato-tampão, o que não o submete à regra que proíbe uma nova candidatura na mesma sessão legislativa.

Garibaldi está substituindo na presidência o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), que renunciou em dezembro de 2007 para evitar ser submetido a um processo de cassação quando era acusado de quebra do decoro parlamentar. Para o líder do PMDB, Valdir Raupp (RO), a decisão da bancada foi tomada em boa hora. "A candidatura do partido está lançada. A bancada, agora, vai trabalhar com entusiasmo", afirmou.

Sarney

Raupp informou que ele próprio, Garibaldi e os demais senadores consultaram o senador José Sarney (PMDB-AP) para saber se ele não pretendia disputar o cargo de presidente. "Fizemos um apelo e, como ele não quis, endossamos a decisão do senador Garibaldi de pleitear a presidência do Senado", contou Raupp.

A eleição para a presidência da Casa será no dia 1º de fevereiro de 2009. A bancada do PMDB é de 20 senadores. Não participaram da reunião Geraldo Mesquita (AC) e José Maranhão (PB), que estão em seus Estados. Outro ausente foi o senador Jarbas Vasconcelos (PE), que está em Brasília, mas já declarou que votará no candidato do PT à presidência do Senado, senador Tião Viana (AC).

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG